AS ÚLTIMAS LIÇÕES DE TIAGO


“Irmãos, se algum dentre vós se tem desviado da verdade, e alguém o converter, Saiba que aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador, salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados.”  Tiago 5:19,20

 A Epístola de Tiago apresenta ensinos práticos e éticos para a vida cristã, da mesma maneira como o próprio Jesus mostrou que a fé deveria vir acompanhada de atitudes.

O livro de Tiago é um livro pouco extenso, mas traz grandes ensinamentos para o cristão. Um livro de teologia prática ou da prática do cristianismo. É de uma linguagem simples sem deixar de ser profunda. Seus ensinos não carregam meias palavras, vai direto nos assuntos mais cruciais da fé evangélica.

Para se ter uma noção da robustez doutrinária deste livro faremos uma síntese  de seus ensinos.

Vejamos:

Capítulo um

Tiago, o irmão do Senhor Jesus, fala sobre os benefícios das provações para edificação de nossa fé;  como obter a Sabedoria; as circunstâncias adversas de nossas vidas são transitórias; a origem do pecado; a origem do bem;  a prática da Palavra de Deus.

Capítulo dois

Destaca que não devemos fazer acepção de pessoas;  fé sem obras é morta.

Capítulo três

Ensina sobre o poder que tem a língua tanto para o mal como para o bem, e como devemos controlá-la; ensina também da sabedoria que vem do alto.

Capítulo quatro

Comenta sobre a origem das contendas; a maledicência é condenada; medita sobre a fragilidade e a falibilidade dos projetos humanos.

Capítulo cinco

Mostra a condenação de Deus pelas riquezas mal adquiridas; a necessidade, bênção e exemplo de paciência; o juramento cristão e o proceder cristão em várias experiências da vida.

Na explanação presente, quero meditar sobre os dois últimos versículos do capítulo cinco para que possamos conhecer  mais sobre essa preciosa carta.

“Meus irmãos, se algum de vocês se desviar da verdade e alguém o trouxer de volta, lembrem-se disso: Quem converte um pecador do erro do seu caminho, salvará a vida dessa pessoa e fará que muitíssimos pecados sejam perdoados.” Tiago 5:19,20

I. DOIS TIPOS DE PESSOAS MUITO IMPORTANTE PRA DEUS

  1. O Desviado

O desviado é o crente que em algum momento de sua vida afastou-se de Deus e de sua soberana vontade.  Seja por causa de um pecado, de uma frustração, de um desencanto, ou conflito entre irmãos ou liderança da igreja. Algumas dessas razões o fez afastar-se da igreja, ou mesmo estando dentro da igreja conserva um coração desviado de Deus. Eis o porquê de demonstrar uma vida fria ou morna, sem alegria da salvação.

“Portanto, convém-nos atentar, com mais diligência, para as coisas que já temos ouvido, para que, em tempo algum, nos desviemos delas.” Hb 2.1

Existem muitos desviados dentro e fora das igrejas que precisam de salvação e voltar ao primeiro amor.

No seu livro, Revival (Avivamento), Richard Owen Roberts apresenta 25 evidências de uma condição desviada. Ele contextualiza cada uma delas, mas vou apenas enumerar, quinze desses pontos aqui. Considere-os seriamente.

  1. Quando a oração deixa de ser uma parte vital de uma vida cristã professa, o desvio está presente.
  2. Quando a busca pela verdade bíblica cessa e a pessoa se torna contente com o conhecimento de coisas eternas já adquirido, não pode haver dúvida quanto à presença do desvio.
  3. Quando o conhecimento bíblico possuído ou adquirido é tratado como um fato externo e não aplicado internamente, o desvio está presente.
  4. Quando pensamentos ardentes sobre as coisas eternas deixam de ser regulares e consumidores, isso deveria ser como um sinal de alerta para o desviado.
  5. Quando os cultos da igreja perdem seu deleite, uma condição de desvio provavelmente existe.
  6. Quando discussões espirituais profundas são um constrangimento, há certamente uma evidência de desvio.
  7. Quando os esportes, a recreação e o entretenimento são uma parte grande e necessária de seu estilo de vida, você pode concluir que está ocorrendo um desvio.
  8. Quando os pecados do corpo e da mente podem ser praticados sem uma revolta na sua consciência, a sua condição de desviado é certa.
  9. Quando as aspirações por uma santidade semelhante à de Cristo param de dominar sua vida e seu pensamento, o desvio está ali.
  10. Quando a aquisição de dinheiro e bens materiais se torna uma parte dominante de seu pensamento, você tem uma clara confirmação de desvio.
  11. Quando quebras de paz na irmandade não são motivo de preocupação para você, isso é uma prova de desvio.
  12. Quando a menor desculpa parece suficiente para afastar você do dever e da oportunidade espiritual, você está desviado.
  13. Quando você fica satisfeito com sua falta de poder espiritual e não mais busca repetidos revestimentos de poder do alto, você está desviado.
  14. Quando você desculpa seu próprio pecado e preguiça dizendo que o Senhor entende e lembra que somos pó, você revela sua condição de desviado.
  15. Quando não há mais música em sua alma e em seu coração, o silêncio testifica de seu desvio.

A vida dos desviados é muito importante para Deus.  O preço dela vale mais do que as maiores riquezas da terra. Quem está na bênção não é melhor que ele. Temos que cuidar de nós mesmos. E nos preocuparmos com eles também.

“Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe que não caia.” 1Co 10.12

  1. O Evangelista (a prática do amor)

A palavra “evangelista” é um substantivo presente no Novo Testamento, derivado do verbo grego euangelizomai, que significa “trazer boas-novas”, “anunciar boas-novas” ou, basicamente, “evangelizar”, “pregar o evangelho”. No Antigo Testamento, o termo equivalente seria o hebraico mebasser, utilizado, por exemplo, no livro do Profeta Isaías (40:9; 41:27; 52:7), denotando o mensageiro portador de boas-novas. Já no Novo Testamento, esse verbo é bastante comum, sendo aplicado a Deus (Gl 3:8), a nosso Senhor (Lc 20:1), aos Apóstolos em suas viagens missionárias, bem como aos cristãos comuns da Igreja (At 8:4).

É bem verdade que existe o evangelista como dom dado por Deus. É aquele que tem paixão por ganhar almas para Cristo. Sua pregação é sobre a Salvação oferecida por Jesus, ele sonha com multidões rendidas aos pés de Cristo.

Mas também sabemos que todo cristão tem o dever de anunciar o evangelho da salvação aos perdidos. Também somos responsáveis pelos nossos irmãos que se afastaram do evangelho, da igreja ou de Deus por alguma razão. As razões que eles alegam do afastamento não são mais importante que o retorno do filho pródigo a casa do pai.

Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!” I Cor 9:16

Nossa missão é movida pelo amor e compaixão, anunciando o evangelho a esses excluídos, para que sejam salvos.

E disse o Senhor a Caim: Onde está Abel, teu irmão? E ele disse: Não sei; sou eu guardador do meu irmão?” Gênesis 4:9

 II. DUAS DOUTRINAS FUNDAMENTAIS D FÉ CRISTÃ

  1. Salvação

“Este Jesus é ‘a pedra que vocês, construtores, rejeitaram, e que se tornou a pedra angular. Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”.  Atos 4:11-12

Salvação é um termo muito amplo.

I. Scofield, no seu comentário sobre Rom. 1:16, diz muito sobre a definição desta palavra: “As palavras hebraicas e gregas para salvação implicam as ideias de livramento, segurança, conservação, cura e santidade”. Salvação é a grande palavra inclusiva do Evangelho, reunindo em si todos os atos e processos redentivos: como justificação, redenção, graça, propiciação, imputação, perdão, santificação e glorificação.

Salvação, portanto, no seu sentido lato, tem a ver tanto com a alma como com o corpo, com a vida presente bem como com a futura. Ela faz referência não só à remissão da penalidade do pecado e à remoção de sua culpa, mas também à vitória sobre o hábito do pecado e a remoção final da presença do pecado no corpo.

“Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus.” Romanos 3:23  “Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram;” Romanos 5:12  “Pois o Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido”. Lucas 19:10

Jesus é o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

 “No dia seguinte João viu Jesus aproximando-se e disse: “Vejam! É o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” João 1:29

“Se, porém, andamos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. Se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça.” 1 João 1:7-9 

“Meus filhinhos, escrevo-lhes estas coisas para que vocês não pequem. Se, porém, alguém pecar, temos um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo. Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos pecados de todo o mundo.” 1 João 2:1-2

2.     Remissão de pecados

Remissão de pecados significa o perdão que temos da nossa dívida.  Deus providenciou uma forma para que a nossa dívida (nossos pecados) pudesse ser paga (perdoada) e assim, pudéssemos estar livres da condenação que merecíamos.

Sabemos que essa nossa dívida nos traria uma terrível condenação: “porque o salário do pecado é a morte” (Rm 6:23).

Esta palavra (“aphesis” e verbo “aphiêmi”) a princípio significava “definitivamente abandonar, descartar, mandar embora, jogar fora” (ler depois: Mat 1:19; 5:31; Heb 9:26). Mas estamos interessados no seu uso em relação ao pecado, onde é praticamente sinônimo da palavra “perdão” (“definitivamente abolir, mandar embora a culpa e as penalidades consequentes aos pecados”) Ato 10:43; Mat 26:28; Luc 24:47; Heb 9:22; Rom 4:7; 8:33-34; Miq 7:18-19; Sal 103:12; Jer 31:34; ler depois: Rom 8:1; Efé 1:7; 4:32; Col 2:13.

Deus já julgou, em Cristo, os pecados do crente, este está definitivamente remido e imputado como justo, nem sequer terá que comparecer nem comparecerá para ser julgado ante o trono branco! (Remissão, mais do que apenas o perdão da penalidade, é também o perdão da culpa do pecado! E Deus vai além, imputando-nos a justiça de Seu Filho e nos adotando como filhos!)

III. O GALARDÃO DO RESGATADOR DOS DESVIADOS.

“…Saiba que aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador, salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados.”

  1. Salvação de Almas. (Uma alma é mais preciosa que o mundo inteiro)
  2. Remissão de Pecado do pecador.
  3. Será tido como sábio.” O fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas é sábio.” Provérbios 11:30
  4. Vai resplandecer na glória. Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça, como as estrelas sempre e eternamente.” Daniel 12:3
  5. Receberá a honra dos salvos.
  6. Receberá os galardões de Deus por tão preciosos frutos. E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.” Mateus 25:21

 

A Igreja continua com sua grande Missão: O ide de Salvação, tanto para os perdidos como para aqueles que tropeçando em sua caminhada, por enes circunstâncias se desviam do caminho estreito do Céu. Para tal, Deus continua ansiando por obreiros aprovados que preguem o Evangelho do Reino continuamente, em todo lugar, a qualquer pessoa, em todo tempo, com todo amor, misericórdia, força e poder, aprendidos de Deus.

Quantos desviados você já trouxe de volta aos caminhos de Deus?  Você está disposto a cumprir essa missão de amor ao próximo?

 

            Pr Francisco Nascimento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s