regeneracao

REGENERAÇÃO


Teologia Sistemática
DOUTRINA DA SALVAÇÃO

REGENERAÇÃO

A. A Natureza da Regeneração

         A regeneração é um ato divino que concede ao penitente que crê uma vida nova mais elevada mediante união pessoa com Cristo.

         “O termo regeneração tal como é usado nas Sagradas Escrituras significa literalmente: ‘ser outra vez‘,  ‘renascimento‘. Portanto, deve entender-se como uma reprodução ou restauração. O termo é por regra aplicado à transformação moral que se retrata nas seguintes expressões bíblicas: nascer de novo (Jo 3.3.,5,7);  nascido de Deus (Jo 1.13; I Jo 3.9; 4.7; 5.1,4,18); nascido do espírito (Jo 3.5,6); vivificado (Ef 2.1,5); passagem do estado de morte para a vida (Jo 5.24; I Jo 5:11-13; Cl 2.13); nova criação (I Co 2.11-13). A essência da regeneração é uma nova vida concedida por Deus Pai, mediante Jesus Cristo; quando é renovado com a imagem de Deus em justiça e verdadeira santidade”. (Wesley, sermão sobre o novo nascimento).

B. A Necessidade de Regeneração

         Se faz necessário por várias razões:

  1. Se faz necessária para a entrada na família de Deus. Jo 1.12,13.

         “O acesso a família de Deus consegue-se da mesma forma pela qual é obtido acesso à famílias humana, a saber, por geração ou nascimento. Em um caso e no outro, tem de haver comunicação de vida e natureza. No caso dos filhos de Deus, trata-se da comunicação da vida eterna e da natureza divina”. Bancroft.

  1. Se faz necessária para a entrada no reino dos céus. Jo 3.3-5.

         “A regeneração ou novo nascimento  é a porta de entrada ao reino de Deus. Para quem não tiver esta experiência, a porta há de permanecer inevitavelmente cerrada, e o homem inexoravelmente separado de Deus”.

         “Cristo salientou a importância dessa doutrina, nas palavras que usou na notável entrevista com Nicodemos. Cada vez que ele declarou a condição, empregou a expressão enfática:” Em verdade, em verdade…”. Desse modo, Jesus mostrou que o novo nascimento não é uma questão facultativa e sim absolutamente obrigatória”. Bancroft.

         “A regeneração é importantíssima. Determina a linha de separação entre a vida eterna e a morte eterna, entre a filiação eterna e a separação eterna”.

  1. Por causa do estado de morte do homem pecador. Ef 2.1; I Tm 5.6.

         Pensamento: “Por natureza os homens são ‘filhos da ira’ (Ef 2.3); ‘filhos da desobediência (Ef 2.2). Esta última expressão é usada especialmente para os que rejeitam a Cristo, em  Jo 8.44. Somente o novo nascimento pode produzir uma natureza santa dentro dos pecadores de modo a tornar possível a comunhão com Deus”.

C.  Erros Concernentes a Regeneração.

       a) A regeneração não é o batismo com água. (At 11:12:14; 10:44-48).

         “O batismo é o sinal exterior de uma graça interior e, por isso mesmo, não pode ser considerado como regeneração. Pedro diz-nos que o batismo não é remoção da imundícia da carne, mas a indagação de uma boa consciência para com Deus (I Pe 3:21); e esta boa consciência não pode ser obtida sem a renovação espiritual interior”.

         É evidente que o ensino por parte da Igreja Romana com respeito a regeneração batismal não tem vazão na correta interpretação da Bíblia.

         “Encontramos em diversas partes do Novo Testamento, a regeneração ligada ao batismo, mas, em todas elas, podemos ver que a realidade jamais confundiu como símbolo. O batismo simboliza, mas não opera regeneração. O batismo é o sinal exterior de transformação realizada pelo E. S. na alma do homem. O batismo é o símbolo do começo da salvação. O batismo é um ato feito a “nós”, enquanto a regeneração é um ato feito em nós. (Langston)

         “Aqueles que ensinam a regeneração interpretam Jo 3:15; Tt 3:5; como passagens que fornecem base para acreditar-se que a regeneração só tem lugar em conexão com o batismo. Mas, qualquer que seja a interpretação dada a essas passagens, o que é certo é que não sustentam essa doutrina. Alguns interpretam-nas figuradamente, à luz de Ef 5:26, que diz “… para que a santifique… por meio de lavagem de água pela palavra…” Se o batismo e a regeneração fossem idênticos, então a linguagem de Paulo na passagem acima citada seria incoerente e contraditória. ” (Bancroft)

         …”O batismo simboliza a regeneração, mas jamais a produz, a verdadeira significação do batismo é moral e espiritual. É a resposta de uma boa consciência para com Deus. Aqui, a verdade é claramente diferenciada do símbolo. E o símbolo tem valor tão somente como espelho que reflete a verdade”. (Mullins)

         O batismo não salva. Ilust. O ladrão na cruz (Lc 23:42,43); Zaquel (Lc 19:9); Cornélio (At. 10:47); os doze discípulos em Éfeso. (19:3-5).

        b) Não é reforma – não é um passo externo, não é um passo natural para a frente, nem mera reversão da atitude moral e mental.

D, Os Meios de Regeneração

         A Escritura apresenta a regeneração como a obra de Deus. Mas há numerosos meios e agências envolvidos na experiência, que faremos bem em notar:

  1. Pela vontade de Deus Tg 1.18; Jo 1.13.

         “Os homens nascem de novo quando gerados por Deus. A soberania de Deus, nesse caso, se interpõe. Algo é infundido. Na salvação de casa pessoa há uma autêntica operação do poder divino, mediante a qual o pecador morto é revivificado; o pecador indisposto é tornado disposto; o pecador recalcitrante e obstinado tem a consciência abrandada, e aquele que anteriormente rejeitava a Deus e desprezava o oferecimento do evangelho é levado a lançar-se aos pés de Jesus”. Bishop.

        2. Pela Palavra de Deus recebida e crida. Tg 1.18; I Pe 1.23; I Co 4.15.

        3. Pela fé em Cristo Jesus. Jo 1.12; Gl 3.26; I Jo 5.1.

        4. Pela operação do Espírito Santo. Jo 3.5,6; Tt 3.5.

E. Os Resultados da Regeneração

  1. Mudança radical na vida e no comportamento. II Co 5.17.
  2. Vitória sobre as tentações. I Jo 3.9; 5.4,18.
  3. Uma fé viva em Cristo. I Jo 5.1.
  4. Não vive mais na prática do pecado. I Jo 3.4,9.
  5. Prática da justiça no cotidiano. I Jo 2.29.
  6. Amor pelo próximo. I Jo 3.14.
  7. Tornam-se herdeiros de Deus. Rm 8.16,17; Ef 1.13,14.
  8. Quebra do predomínio da carne (tendência para o pecado). Rm 6.11,12,14,22.

 

 

                                                                      Pr Francisco Nascimento

 

Obs: Esse é um trabalho de pesquisa que aglutina os melhores pensadores sobre as doutrinas de Teologia Sistemática

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s