coracao curado

PASTOR DE CORAÇÃO CURADO


PASTOR DE CORAÇÃO CURADO
“E apedrejaram a Estevão que em invocação dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito. E, pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: Senhor, não lhes imputes este pecado. E, tendo dito isto, adormeceu.” (Atos 7:59,60)

              Quando meditamos em nossas atitudes do passado aprendemos que muita de nossas reações diante de um determinado acontecimento, poderia ser diferente. Essa mudança, certamente, não traria as consequências que sofremos hoje. As perdas que herdamos estão relacionadas muito mais com as nossas ações e reações no passado.
Você muitas vezes se pega pensando: e se eu reagisse diferente, diante da provocação, do embate, da humilhação? E se eu contasse até dez, respirasse fundo diante daquela contenda? E se eu não gritasse? E se eu reconhecesse o meu erro quando acusado, pedisse perdão, não seria diferente a relação com meu pai, mãe, amigo, irmão, com meu líder? Muitos rompimentos de amizades, de família, acontecem por uma reação errada, equivocada.
Nessa meditação vamos aprender com Estevão como um líder, um pregador da palavra de Deus deve reagir diante de determinada situação vivenciada.
Estevão nos ensina que os sentimentos que abrigamos em nosso coração farão diferença substancial para que nos beneficiemos em tempo de enfrentamento.
Meditaremos sobre a vida do pastor, suas lutas, seus sentimentos, suas reações diante de determinados acontecimentos.
A atitude de Estevão quando recebia pedradas de seus algozes, é que nos fará repensar que poderemos agir diferente nos momentos mais angustiantes de nossas vidas.

A ALTRUÍSTA MISSÃO PASTORAL

         Quanto a sua grandeza a missão pastoral é uma nobre missão, um mandato de Deus para apascentar seu povo, exortar, animar, fortalecer, ensinar, guiar as águas tranquilas, mostrar o caminho da salvação.
Não existe função mais bela que servir a Deus, ser portador das boas novas de salvação, ser embaixador dos céus, ministro do evangelho, profeta do Deus Altíssimo.
A nobreza está intrínseca a função que exercemos, com isso somos respeitados, dignificados e honrados pelos vários níveis sociais, tanto pelo homem de profissão mais simples, ou pouco valorizada na sociedade, como as profissões mais elevadas no nível da pirâmide social: doutores, vereadores, deputados, senadores, prefeitos, governadores, presidentes e até reis.
O pastor é um homem de Deus até que se prove o contrário. Neste contexto ele é muito respeitado!
Na relação com indivíduos das vários matizes social, está o pastor com uma palavra profética para entregar ao povo. Palavra esta que nem sempre é de amor, consolação, de paz, mas de exortação e juízo. É nesse contexto profético que a missão pastoral se torna difícil, mais espinhosa. Por que a mensagem de Deus que nem sempre é doçura para os ouvidos, produzirão retaliações, ataques ao pregador e sempre virão da forma mais cruel e ferina, através de palavras e atitudes que certamente o ferirão em sua estrutura psicológica e espiritual, podendo refletir em seu físico.
São nas horas de enfrentamento que se evidencia a humanidade do pastor, do pregador, do profeta, e se exterioriza a vulnerabilidade do seu coração, as fraquezas de sua alma. É nesse tempo de ataques que seu coração poderá abrigar sentimentos de raiva, rancores, ressentimentos, mágoas, amargura e ódio.

Ilustração: O profeta Elias, enquanto no monte Carmelo humilhava e matava os 450 profetas de Baal, vendo-se sob ameaça de Jezabel ele sucumbe no deserto, se escondendo e desejando a morte.
Como bem dizia o nosso Bispo Elisiário Alves dos Santos: O pastor passa por sentimentos antagônicos, de manha está no culto fúnebre e a noite está celebrando um casamento.
Essa mudança drástica de situações, muitas vezes se evidencia no dia a dia de sua vida pastoral, nos problemas apresentados através do aconselhamento pastoral. Um irmão vem ao pastor e conta uma bênção, uma conquista, e ele sorrir, se alegra. Pouco depois outro entra no gabinete e conta uma luta, uma aflição. Do sorriso ele vai as lágrimas, orando pela consolação ao irmão. Haja emoção!!! Segura coração!!!

Existem pelo menos seis níveis de enfrentamento que o pastor passa na sua vida:
1. Consigo mesmo. Ideias, sentimentos, vontade, dúvidas, tentações, limitações, solidão.
2. Com sua família. Esposa, filhos, finanças, provisão, sua relação com a igreja e a vida secular. Conflitos familiares, e seu testemunho de homem de Deus.
3. Com suas ovelhas (quem ele lidera). Ingratidão, críticas, murmuração, insatisfação, etc. Dificuldade de crescimento espiritual e numérico.
4. Com seus superiores hierárquicos. Superintendente distrital, bispo. Dos relatórios, da organização administrativa da igreja, da prestação de contas do final do ano e nos concílios, do crescimento, dos perigos de mudanças de igrejas e de estado. É muita adrenalina, e muita pressão.
5. Com seus colegas. Ingratidão, traição, inveja, incompreensão, dos Absalões contemporâneos, os aliciadores de membros.
6. Com a sociedade. No contexto que se vive, a sociedade exige comportamento ético de um homem de Deus. A sociedade exige um super homem, cujas virtudes sejam notórias, não pode haver falha, erro. Você que faz 100% tudo certo, se errar uma vez, sua reputação poderá ir para o lixo. Para a sociedade o pastor não pode cometer pecado.
Do pastor que aliciou uma adolescente da igreja. Outro que deixou de socorrer um jovem que havia sido esfaqueado. Todos eles foram repelidos como maus pastores no bairro em que vivia.

O QUE FAZER PARA QUE NOSSA ALMA SEJA PRESERVADA DAS PEDRADAS DA VIDA
“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida.” (Provérbios 4:23)

          O pastor tem que preservar o seu coração, protegendo com a graça, a consolação e a presença de Deus.
Vamos aprender com o líder Estevão que quando nosso coração está blindado com valores eternos, valores de Deus, dificilmente a amargura, o ressentimento, a mágoa e o ódio leva vantagem em nossas atitudes.
Cinco atitudes de Estevão no tempo do enfrentamento, na hora da provocação:
1. Ser cheio do Espírito Santo. “Mas ele, estando cheio do Espírito Santo”.(Atos 7:55)
2. Ter visão espiritual acurada de que os céus estão abertos para você. “ E disse: Eis que vejo os céus abertos.” (Vs 56)
3. Ter visão de Jesus nos céus de pé a destra de Deus. ( Ele está sobre o domínio de sua vida e acontecimentos, soberania) Nada refoge ao se calor. “fixando os olhos no céu, viu a glória de Deus, e Jesus, que estava à direita de Deus;” (Vs 56)
Estevão olhava para Jesus e Jesus olhava dos céus para ele. Essa visão mostra como o nosso pastor Jesus está presente em todas as lutas que passamos. (Hebreus 12:1)
4. Ter a certeza de você pertence a Jesus, que é o seu pastor, no curso da sua vida e não hora da morte. “ Senhor, Jesus, recebe o meu espírito” (Vs 59)
5. Amar os opositores ao ponto de perdoar e pedir perdão pelos seus pecados. ” Senhor, não lhes imputes este pecado. E, tendo dito isto, adormeceu.” (Vs 60)
Quando se ama, não se solta maldições, nem palavras carregadas de ira e amargura.
Não sabemos se Estevão estava próximo de Jesus no dia de sua crucificação, e se ouviu as últimas palavras que Jesus disse ao Pai em relação aos seus algozes, mas o certo é que Estevão como bom discípulo aprendeu de Jesus, que não podemos guardar mágoas, ressentimentos de nossos opositores nem durante a vida, nem ou na hora da morte. “ Pai Perdoa-lhe , eles não sabem o que fazem” (Lc 23,34) “Senhor, não lhes imputes este pecado.” (At 7:60)

NOSSA ATITUDE EM TEMPOS DIFÍCEIS INFLUENCIARÁ GERAÇÕES
“E, expulsando-o da cidade, o apedrejavam. E as testemunhas depuseram as suas capas aos pés de um jovem chamado Saulo.” (Vs 57)

       Nós estamos fazendo discípulos, seja para o bem, seja para o mal. As nossas ações e reações em cada conflito, em cada dificuldade, em cada tribulação, influenciará os que nos cercam.
Quando Estevão estava sendo apedrejado, Saulo de Tarso, comandante da guarnição que deveria protegê-lo, consentia na morte de Estevão. Dois líderes, duas missões, dois destinos. Por um lado Estevão na sua missão celestial de pregar a Palavra de Deus com sua verdade impactante. Por outro lado Saulo ( Paulo) outro líder com sua missão religiosa equivocada, de perseguir os hereges, prender e matar, caso fosse necessário.
É nesse contexto de vida e morte que sobressai a liderança que muda curso de vida, de ideias e de valores. O que vai fazer com que as pessoas sejam impactadas e repensarem suas atitudes, não são as ideias e os argumentos cheios de frases persuasivas e eloquentes, mas o modo de reagir diante da provocação, do enfrentamento, que transformará os que estão ao nosso redor.
Saulo nunca mais foi o mesmo depois de ver a atitude de Estevão diante das pedradas que o levaram à morte. Havia algo diferente em Estevão que Saulo não tinha, havia glória no seu rosto, havia cura no seu coração, havia amor nas suas atitudes, havia perdão nas suas palavras.
Saulo pouco tempo depois se converteu no caminho de Damasco, e sua vida se transformou radicalmente, passando a ensinar aos outros que o cristianismo se difere do comportamento e das atitudes do mundo. Paulo foi influenciado poderosamente por Estevão na hora de sua morte.

     Não temos como consertar nosso passado, mudar as decisões e as reações que tivemos no decorrer de nossas vidas. As marcas ficaram, e muitas não foram nada boas, relações foram rompidas, veio o sofrimento, a dor, e a perda.
Mas nós podemos mudar o agora e aprender com homens que souberam vencer no tempo de enfrentamento, de provocação.
Aprendemos com Estevão que, mesmo em face às pedradas que o levariam a morte, não abrigou em seu coração sentimentos facciosos, amarguras, raiva, ressentimentos, mágoas, ódios, desejo de vingança.
Estevão aprendeu com Jesus, que devemos amar os inimigos e perdoar os que jogam pedradas em nós.
Estevão nos ensina que até durante os embates, as nossas reações está fazendo discípulos para o bem ou para o mal.
Saulo aprendeu com Estevão que devemos dar a outra face quando provocado, e isso é princípio e amor cristãos que além de sabidos devem ser vividos

Pr Francisco Nascimento

3 comentários sobre “PASTOR DE CORAÇÃO CURADO

  1. Bom dia, mensagem abençoada, Pr. Eu e meu esposo fomos consagrados a pastores a oito meses, e há doze anos fazemos missões em presídios, com muitos batismos e casamentos comunitários, agora pastoreamos uma pequena igreja que saiu de dentro despersuadimos, oh meus Deus como esta sendo difícil, por favoritos ajude, abraços pastora Alana.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s