O QUE TU TENS NÃO É TEU


O QUE TU TENS NÃO É TEU

“Disse-lhe Jesus: Vai, chama teu marido e vem cá; ao que lhe respondeu a mulher: Não tenho marido. Replicou-lhe Jesus: Bem disseste, não tenho marido; porque cinco maridos já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade.” João 4:16-18

A história da mulher samaritana é cheia de ensinos preciosos para nossas vidas, a começar pela sede que ela manifesta de buscar as águas profundas de Deus, de querer receber de Jesus a água viva para saciar sua sede.

De fato, através de Jesus, essa mulher recebe os mais preciosos valores da vida: amor, atenção, compaixão, graça, perdão, salvação e alegria de viver. A samaritana sai desse encontro completamente realizada, feliz e dignificada.

Para ser liberta de todos os fantasmas do seu passado, ela é confrontada a  arrepender-se, refletir e mudar  certos comportamentos que são incompatíveis àqueles que querem andar com Jesus e serem salvos.

A pergunta de Jesus, a faz refletir sobre o pecado que cometia. Mas isso não a deixa arrasada, não obstante saber das implicações inerentes a tão grave transgressão. A pergunta é direta e confrontadora: Disse-lhe Jesus: “Vai, chama teu marido e vem cá.” Com essa pergunta Jesus passa a experimentar o caráter dessa mulher. Ela respondeu: Não tenho marido. Replicou-lhe Jesus: Bem disseste, não tenho marido; porque cinco maridos já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade.

O confronto nas palavras de Jesus sobre a conduta da mulher é resultado do conhecimento que ele tinha sobre ela:  havia algo errado que precisava ser consertado; o que ela tinha não lhe pertencia.

O que ela tinha que não lhe pertencia? Um homem, esposo de outra mulher. Não poderia chamá-lo de seu marido, pois o havia conquistado através do adultério, portanto de modo ilícito, reprovável diante de Deus.

Creio que esse é um grave pecado que muitos têm cometido, hoje em dia.     Estão na posse de algo que não lhes pertence, e precisam devolver ao dono para que encontrem o perdão e a salvação para suas almas.

O QUE TEMOS QUE NÃO NOS PERTENCEM?

Tudo  que nos é confiado por pouco tempo, emprestado, ou mesmo  daquilo  que nos apropriamos sem a devida permissão, devem ser devolvidos. Por exemplo:

Dons e ministérios. Eles nos foram dados por Deus para o benefício da obra dele na terra, para o engrandecimento de seu reino, e um dia, Ele mesmo nos exigirá devolução com mais valorização, com a devida multiplicação. Mt 25:14-31

Os filhos. São tesouros de Deus que nos foram presenteados, para tratarmos bem, educando, formando dentro dos princípios da Palavra. Um dia teremos que prestarmos contas deles perante Deus.

O cônjuge. Muitos relacionamentos não têm a bênção de Deus, pois começou de modo ilícito. Usando o mesmo principio diabólico da mulher samaritana, muitas pessoas usam destes ardis para conquistar aquele ou aquela que já estão na posse de outro. Esse tipo de atitude gera brigas, separações e muita mágoa que destrói a família, produzindo na vitima traumas terríveis, por lhe terem roubado a pessoa amada. “e esse que agora tens não é teu marido;

Membros da igreja. São muitos os líderes que gostam de assediar, aliciar e roubar membros de outra igreja, (possuem o espírito de Absalão). Membros que estão na responsabilidade espiritual de outro colega. Com vários ardis convence-os a mudar de igreja, e depois ainda se vangloriam dizendo que sua igreja está crescendo e aumentando em membresia. De fato, mas, o aumento maior é do pecado  gerado nos corações por essa atitude. “o que tu tens não é teu”. Esses líderes certamente pagarão no juízo pelas almas que roubaram, e pela traição ao seu colega.

” Maldito aquele que mudar os marcos do seu próximo. E todo o povo dirá: Amém!” Deuteronômio 27:17

Objetos ou dinheiro emprestados e nunca devolvidos ou restituídos. Certa feita, um irmão emprestou um livro cujo título era: “nunca mais serás o mesmo” . Depois de mais de ano o livro foi devolvido. Quando o dono olhou para livro  exclamou: “ com certeza, nunca mais serás o mesmo”. O livro estava todo danificado.

“ O ladrão diz: isso é meu!!! Roubando do dono o que com sacrifício adquiriu.

Ladrões da inocência. São os pedófilos, que roubam das crianças a pureza e simplicidade. Produzindo marcas profundas no futuro delas. São pais ou responsáveis negligentes que negam aos pequeninos o direito de gozarem a infância com saúde, alegria e pureza, expondo-os a trabalhos  adultos ou usando-os no tráfico de drogas, em assaltos, na exploração física e emocional de seus corpos, corrompendo suas mentes, expondo-os ao sofrimento e às barbáries deste mundo cão.

Ladrões dos sentimentos. São aqueles que brincam com sentimentos dos outros. Com palavras mentirosas fazem vítimas justamente aqueles que esperam receber, amor, carinho e compreensão. Aqui também se encontram aqueles que  usam de auto comiseração para prender pessoas a si, para ganharem o centro das atenções.

Ladrões de almas. Nesse grupo estão os políticos que com sua retórica messiânica prometem o que não podem cumprir, mantendo o povo na escravidão da manipulação social. Estão também muitos religiosos que sentem-se dono da conduta de seus membros, obrigando-os a fazerem coisas contrário ao que a Palavra de Deus ensina, trazendo-os cativos com sua palavra bajuladora ou autoritária.

Os Corruptos. Apropriam-se indevidamente dos bens coletivos, dos bens públicos para ganhos próprios. Juntam riquezas roubando o suor dos trabalhadores honestos, retendo aquilo que seria  ganho comum , trazem miséria e sofrimento à população.

Aqueles que não devolvem o dízimo ao Senhor. Sabemos que de tudo que ganhamos, de toda a renda que temos e não apenas o valor do salário registrado em carteira ou em contrato, apenas 90% é nosso. O Senhor exige de cada cristão apenas 10%( o dízimo). Muitos têm roubado a Deus, sendo infiéis, usam a parte do Senhor e deixam a obra em apuros. “Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. Com maldição sois amaldiçoados, porque me roubais, vós a nação toda”. Malaquias 3:8-9

Creio que lugar teríamos para que essa lista do “o que tens não é teu” fosse ampliada. Infelizmente, o segundo grande mandamento, pouco tem sido observado, até mesmo por aqueles que se dizem cristãos: Amar o próximo como a si mesmo ( Rm 13:9).

A mulher samaritana nos ensina a reconhecer nosso pecado, nossa falha, arrepender-nos e seguir uma vida triunfante e transformada como foi a dela, a partir do momento que teve o seu encontro pessoal com Jesus. Mais que uma nova vida, ela pode ganhar o poder de ser usada pelo Senhor em verdade, livre de toda mentira, anunciar o autor da verdade.

Uma única decisão: ser verdadeira diante de Deus, devolvendo o que não era seu e recebendo do Senhor, tudo que era dela, Nele.

Pr Francisco Nascimento

Anúncios

7 comentários sobre “O QUE TU TENS NÃO É TEU

  1. glórias a Deus pois com Ele podemos beber da fonte, deixando coisas velhas para trás. e hoje saber que tudo que temos e para apenas administrar pois tudo é dele e para ele.
    Deus faça muitas maravilhas na sua vida e da sua familia, pois é um homem de Deus, que o senhor continue te abençoando amém

  2. Gostaria de saber como o autor do texto deste blog chegou à conclusão de que a mulher ter dito “Não tenho marido” e de Jesus ter respondido “Bem disseste, esse que tens não é teu marido” implica ou significa que o homem que está com esta mulher foi conquistado em adultério, ou que é casado com outra, ou algo assim. Em que texto, da Bíblia ou histórico, está escrito isso ou isso se pode deduzir?

  3. Boa tarde, Pr. Francisco.

    Obrigada por sua resposta, mas minha pergunta anterior surgiu justamente porque li o texto em questao no evangelho e nao encontrei no texto nada que indicasse que se tratava de adulterio. Dai eu querer saber em que se baseia essa interpretacao.

    Grata!

  4. Creio que essa passagem de João 4 é uma referência a Isaías 54 em especial o verso 5-7. Porque o teu Criador é o teu marido; o Senhor dos Exércitos é o seu nome; e o Santo de Israel é o teu Redentor; que é chamado o Deus de toda a terra. Porque o Senhor te chamou como a mulher desamparada e triste de espírito; como a mulher da mocidade, que fora desprezada, diz o teu Deus. Por um breve momento te deixei, mas com grandes misericórdias te recolherei; O fato dEle pedir para ela chamar o marido não se refere a nenhum tipo de acusação até pq um estudo mais detalhado sobre essa mulher e no contexto histórico essa mulher não era adultera e sim uma mulher sofrida, abandonada, rejeitada…. O fato é que a mulher daquele contexto já tinha passado por 5 irmãos pois na época era comum quando o marido morria, a mulher do falecido passar a ser do irmão do falecido. Jesus lhe perguntou sobre seu suposto marido para que ela se despertasse e percebesse que nenhum homem poderia suprir seu vazio existencial, suas necessidades espirituais… Nessa passagem a mulher samaritana simboliza toda humanidade, que busca preencher seu vazio por meio de poços feitos por mãos de homens, no caso dela – o poço de Jacó. Observe a passagem de Jeremias 2.12-13: Espantem-se diante disso, ó céus! Fiquem horrorizados e abismados”, diz o Senhor.”O meu povo cometeu dois crimes: eles me abandonaram, a mim, a fonte de água viva; e cavaram as suas próprias cisternas, cisternas rachadas que não retêm água.”. Atualmente, seria as coisas do mundo (soberba da vida, descontrole dos olhos e carne-1 Jo 2.16) que nunca preenchem o vazio humano pois apenas Cristo tem as águas vivas que saltam para a vida eterna. A questão do poço, do marido, eram as coisas que estavam impedindo que ela colocasse sua confiança em Deus que verdadeiramente era o seu marido, o único que poderia sustenta-la e fazê-la feliz mas ela estava buscando Deus, seu marido, seu sustentador em lugares, em templos… Mas Jesus lhe dá a resposta que a faz olhar para si mesma… para seu interior, a fim que ela perceba que ela é o templo que o Eterno decidiu habitar: A hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.
    João 4.23-24. A mulher entendeu! Jesus revelou sua vida no sentido de não buscar em Deus a cura para sede, para o vazio e não em adulterios passados. Essa é a situação da humanidade: buscar coisas, homens em quem confiar e se esquecem do seu marido, do seu provedor, abandonam o manancial de águas para beber água de cisternas. Tudo isso é espiritual. Não há nada carnal nessa historia e em nenhuma outra da bíblia.

    E sobre essa questão de dizimo, Malaquias… Deus não exige nada do homem. Se o homem desse todo o seu salario para Deus, não estaria dando nada a Deus pq foi Deus quem lhe deu seu salario, seu emprego, sua vida. O dizimo no antigo testamento era para ajudar viúvas, órfãos e tmb para os levitas (basta fazer uma breve pesquisa)mas os SACERDOTES estavam roubando os alimentos e defraudando os necessitados. Deus se coloca no lugar dos necessitados que não estão sendo ajudados…. Sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes Então eles também lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos? Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim. Mateus 25.43-45

    Deus abençoe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s