SENTIMENTO DE CULPA



É SÓ CLICAR EM CIMA

Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar” Salmo 51:4

“Tu és o homem!” A voz era firme e contundente, olhando em direção ao rei Davi. O profeta Natã, não titubeou em denunciar o pecado de adultério e assassinato que Davi tinha cometido contra Urias, um dos seus melhores soldados. Os seus súditos ficaram perplexos, esperando qual seria a reação do rei em face de tamanha acusação. A voz de Davi ficou gaguejante, as mãos começaram a suar, ficou pálido, seu semblante revelou-se angustiado, apreensivo, cabeça baixa, ajeitou-se na cadeira meio sem jeito; sua vontade era de sumir. Sua consciência passou a lembrá-lo, de maneira minuciosa, a perversidade que tinha cometido contra seu próximo. Seu pecado fora descoberto. Havia uma sentença de condenação sobre ele. A voz do rei saiu quase inaudível: “Pequei contra o Senhor”. Disse Natã a Davi: “Também o Senhor te perdoou o teu pecado, não morrerás. Mas, posto que com isto desse motivo a que blasfemassem os inimigos do Senhor, também o filho que te nasceu morrerá.” II Samuel 12:1-14

Há algum tempo atrás, sempre pensava que as profissões que mais estariam na vanguarda do século 21, que gerariam mais lucro, seria a psicologia, a tecnologia de informação e a advocacia. E eu estava certo. Alguma luz do céu me deu essa revelação? Não, simplesmente a evidência do distanciamento do homem para com seu Criador, plausível nos dias de hoje. Mas por que a psicologia e advocacia? A psicologia, porque a mente do homem está cada dia mais perturbada, cheia de sentimentos de culpa, cheia de complexo, traumas, solidão, amargurada e pecaminosa. A advocacia porque se esbalda em defender ou acusar os crimes que são cometidos por milhares de pessoas a cada dia.

A culpa é um dos sentimentos que tem matado a muitos. “O sentimento de culpa é caracterizado pelo estado de abatimento gerado pela consciência de haver violado algum princípio ou faltado com uma obrigação, de ter feito algo que considera repreensível. Eu fiz alguma coisa que sei que não deveria ter feito.” Inês Cavalieri.

Há várias definições sobre esse sentimento avassalador que dilacera a alma e enfraquece as forças: “A suspeita sempre persegue a consciência culpada; o ladrão vê em cada sombra um policial.” William Shakespeare. “A principal e mais grave punição para quem cometeu uma culpa está em sentir-se culpado.” Sêneca

“Culpa é o sentimento de ser indigno, mau, ruim; carrega remorso, censura e resulta em raiva guardada que se volta contra nós mesmos. Esse estado que corrói nossa alma e que nos impede de sermos nós mesmos, tem variáveis complexas que podem ser oriundas de fatores reais ou imaginárias.” Adriana Camargo

“ A culpa é uma condição moral ou legal que resulta da violação de uma lei, escrita, moral, intuitiva ou espiritual… O senso de culpa é um dos mais importantes capítulos da psicologia, porque muitos males do homem resultam do senso de culpa que ele abriga. Para os psicólogos freudianos, a culpa está ligada à formação do superego, que age como espécie de policial interno, que controla os impulsos básicos, disfarçando-os sob forma de sonhos. Na criança, o senso de culpa é uma espécie de identificação com um dos seus pais que a desaprova. Na vida adulta, a criança, transfere o seu conceito de culpa a várias formas de autoridade, nem sempre envolvendo questões de certo ou errado. Portando o senso de culpa pode ser falso e patológico” Russel Champlin.

Na Bíblia Sagrada, o sentimento de culpa não é um mal em si e nem vem para destruir o homem, muito pelo contrário, é a própria sobrevivência, para que não seja sentenciado a um distanciamento definitivo de Deus. De fato, uma alma culpada é acometida de vários sintomas: tristeza, vergonha, medo, fuga, raiva, ansiedade, angústia, depressão, autocomiseração, relativização e racionalização da culpa.

Talvez, uma das mais cruéis conseqüências provenientes da culpa, seja o medo, (fobia). “O medo e a culpa andam juntos. São companheiros inseparáveis. A culpa traz o medo. Nada pode tornar uma pessoa mais insegura que o sentimento de culpa. Aonde vai a culpa vai o medo. Pela primeira vez, o homem estava sentindo culpa e medo. “tive medo”, disse Adão. A cobrança da culpa é o medo.” A.D.

O outro sentimento proveniente da culpa é a tristeza. Essa longe de ser um mal em si, quando compreendida, trará benefícios, Agora me alegro, não porque fostes contristados, mas porque fostes contristados para arrependimento; pois fostes contristados segundo Deus, para que de nossa parte nenhum dano sofrêsseis. Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para a salvação que a ninguém traz pesar; mas a tristeza do mundo produz morte” II Coríntios 7:9,10

Deus colocou a consciência no homem a fim de que ele fosse regulado por leis e princípios morais, no seu relacionamento com Ele e com as obras por Ele criadas. Por isso mesmo, o homem não conhecendo a lei escrita (Bíblia), não pode dizer que não tinha ciência do certo e errado, a sua própria consciência o acusa ou o absolve dos seus atos. “Estes mostram a norma da lei gravada nos seus corações, testemunhando-lhes também à consciência, e os seus pensamentos mutuamente acusando-se ou defendendo-se, no dia em que Deus, por meio de Cristo Jesus, julgar os segredos dos homens de conformidade com o meu evangelho.” Romanos 2:15,16.

Pode acontecer, também, de individuo não sentir-se culpado de uma transgressão. Esse caso é o que a Bíblia chama “de mente cauterizada”. (Cauterizar, sig.: queimar, destruir, sanear) “Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que tem cauterizada a própria consciência…” I Timóteo 4:2

O principal promotor do sentimento de culpa é o pecado. Mas há pelo menos quatro sinalizadores de que houve transgressão ou que algo não está bem na vida do homem: A consciência, o diabo, os maus conceitos ou preconceito, e o Espírito Santo:

1. A consciência, como já falamos, é fonte reguladora de leis morais e comportamentais deixada por Deus a nosso favor. 2. O diabo (sig. Acusador,adversário), a função dele é apontar a culpa, a fim de nos destruir, machucar e nos afastar definitivamente do Deus de amor. 3. Os conceitos ou preconceitos são heranças (idéia ou comportamentos) que recebemos de nossos pais, parentes ou amigos, que concebemos como corretos. 4. O Espírito Santo, uma das funções dele é nos convencer de nossa culpa e promover o arrependimento (grego: Metanóia: mudança de pensamento, de vontade, de rumo). “Mas eu vos digo a verdade: convém que eu vá, porque se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se porém, eu for, eu vo-lo enviarei. Quando ele vier convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque não crêem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais; do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado.” João 16:9-13.

O que fazer quando assaltado por esses sentimentos perturbadores? “E nisto conhecemos que somos da verdade, bem como, perante ele, tranqüilizaremos o nosso coração; pois, se o nosso coração nos acusar, certamente, Deus é maior do que nosso coração e conhece todas as coisas.” I João 3:19,20.

Um dos princípios básicos que deve ser firmado em nossos corações é que Deus é Maior. É maior que a acusação (pecado), que nossos sentimentos, que a consciência, que o diabo, que outros acusadores externos… E o que é maior nele? Sua misericórdia, Sua compaixão, Seu amor, Seu poder. E por que Ele é maior? Porque Ele conhece todas as coisas.

Quando Natã disse a Davi, “Tu és o homem!”, a atitude de Davi nos leva a imitá-lo quando argüido desses sentimentos. Ele disse: “Pequei contra o Senhor.” Mais tarde ele novamente confessa: “Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar” Salmo 51:4.

A confissão é a fonte libertadora de sentimentos de culpa. “Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos o dia todo. Salmos 32:3. “ O que encobre as suas transgressões jamais prosperará, mas aquele que as confessa e deixa, alcançará misericórdia”. Provérbios 28:13 “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é Fiel e Justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” I João 1:9.

A confissão além de nos libertar dos sentimentos malignos, produz cura e restauração. “Consolai, consolai meu povo, diz o vosso Deus. Falai ao coração de Jerusalém, bradai-lhe que já é findo o tempo de sua milícia, que a sua iniqüidade está perdoada e que já recebeu em dobro das mãos do Senhor por todos os seus pecados” Isaías 40:1,2.

Pr. Francisco Nascimento

Um comentário sobre “SENTIMENTO DE CULPA

  1. OLÁ FRANCISCO! GOSTEI DO ARTIGO, MAS GOSTARIA QUE VC

    ME ENVIASSE ALGO QUE FALASSE SOBRE “O PONTO DE VISTA

    TEÓLOGICO DO SENTIMENTO DE CULPA, POIS ESTOU

    ESTUDANDO SOBRE O ASSUNTO E SUGESTÕES DE

    ACONSELHAMENTO PASTORAL DE COMO TRATAR O ASSUNTO.

    DESDE JÁ AGRADEÇO PELA ATENÇÃO.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s