O Líder e a Palavra Fiel


“Fiel é a palavra e digna de toda aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal. Mas, por esta mesma razão, me foi concedida misericórdia, para que, em mim, o principal, evidenciasse Jesus Cristo a sua completa longanimidade, e servisse eu de modelo a quantos hão de crer nele para a vida eterna. Assim, ao Rei eterno, imortal, invisível, Deus único, honra e glória pelos séculos dos séculos. Amém!” I Timóteo 1:15-17

Esses dias tive um sonho. Sonhei que um moço muito conhecido de minha infância cujo um irmão é pastor, chegava perto de mim com um pacotinho que tinha um amuleto dentro e perguntava se aquilo que estava usando era correto. Eu passava então a falar para ele, sobre três partes da bíblia que descrevem a fidelidade da Palavra de Deus. A fé que agrada Deus deve ser de acordo com as Sagradas Escrituras e que nossa pregação deveria ser de acordo com a Palavra de Deus.

As três partes da Bíblia citadas em meu sonho estão assim distribuídas. A primeira parte está em I Timóteo 1:15-17, versículos lidos a cima. A outra parte está no evangelho de João que diz: “Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.” João 7:38.

E a última parte está na carta de Paulo a Timóteo que diz: “Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas.” II Timóteo 4:1-4

Há muito tenho meditado sobre o perigo a que muitos de nós, cristãos professos, sinceros e zelosos temos sido expostos, através de “certos evangelhos” pregados em um número crescente de púlpitos e na mídia, de forma geral. São mensagens esquisitas que “torcem” o evangelho de Cristo em sua mais plena essência, confundido mentes e levando multidões a viverem o engano e a se desviarem da verdade.

Pesquisando sobre o assunto, achei no sermão do Pastor John MacArthur preocupações a esse respeito e quero compartilhar com vocês. Diz ele em uma de suas abordagens: Os pastores de nossos dias sofrem tremenda pressão para fazerem tudo, exceto pregar a Palavra. Eles são instruídos pelos eruditos do Movimento de Crescimento de Igreja que têm de alcançar as “necessidades sentidas” dos ouvintes. São encorajados a se tornarem contadores de histórias, comediantes, psicólogos e preletores que motivam. São aconselhados a evitarem assuntos que os ouvintes acham desagradáveis. Muitos já abandonaram a pregação bíblica em favor de mensagens devocionais que têm o objetivo de fazer as pessoas sentirem-se bem. Alguns têm substituído a pregação por dramatização e outras formas de entretenimento.”

Ele continua: “Sempre houve nos púlpitos homens que reuniram grandes multidões porque eram oradores dotados, interessantes contadores de histórias e preletores que entretinham os ouvintes; tinham personalidades dinâmicas; eram perspicazes manipuladores das multidões, políticos populares, elaboradores de mensagens que estimulavam os ouvintes e eruditos. Esse tipo de pregador pode ser popular, mas não é necessariamente poderoso. Ninguém prega com poder, se não pregar a Palavra de Deus. Nenhum pregador fiel minimiza ou negligencia todo o conselho de Deus. Proclamar toda a Palavra – essa é a vocação do pastor.”

São muitos os ensinos errôneos que têm sido difundidos, relativizando Deus, tornando-o mero instrumento de manipulação de desejos carnais.

Para exemplificarmos algum destes venenos, mencionaremos a Teologia da Prosperidade, muito em voga hoje em dia. Ensina que se você não apresenta bênçãos materiais – financeiras: carro do ano, casa própria, casa de praia, salários altos… Ou você não tem fé ou está em pecado. “Prosperidade não é ter polpudas contas em bancos; não é ter todos os carros do ano, não é ter bens materiais imóvel na praia, outro na cidade, outro no campo, não é ser milionário bilionário. Ser próspero é ter o suficiente para uma vida digna, para o próprio sustento e ainda para ajudar o próximo, ao necessitado”. “Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado.” (Ef.4:28). (Edmar Alves).

Outro ensino preocupante é aquele que torna Deus um mero serviçal da vontade humana. Diante de qualquer necessidade, Deus quebra o galho. Basta pedir que Ele tem que atender favoravelmente. É o Deus que sempre está a meu serviço.

Outro ensino propagado é o determinismo positivo: “eu determino, eu decreto, eu ordeno” e zap! Assim será feito.

Meu Deus, quantas bobagens. Quanta falta de conhecimento da Palavra!

Deus não é regido por caprichos humanos. Ele é Soberano e regido por sua vontade e não está limitado a meros “decretos” de infelizes e ignorantes que não o conhecem, nem o seu poder e a sua vontade.

O ensino do sensacionalismo e emocionalismo barato: “estou sentindo o poder; olha o anjo, olha o anjo; Senhor coloca cem anjos a minha frente, cem do lado esquerdo, cem atrás e cem na frente.” Disse certo escritor: ”A pior maldição que um povo pode sofrer é ter uma religião movida à base de mera emoção e sensacionalismo. A ausência de realidade espiritual já é trágica; mas o aumento da falsa espiritualidade é pecado mortal. (S. Chadwick)

Amuletos evangélicos têm entrado sutilmente na igreja: Fitinhas ungidas, lencinhos poderosos, Óleo ungido de Jerusalém, da Terra Santa, Água do Jordão, sal grosso, arruda, produtos tipificando o “sangue”, aspergido nos umbrais das casas, água benta e muitas outras coisas… Estão criando as mais terríveis crendices no meio do povo evangélico.

O ensino do contato imediato, ou seja, a pessoa põe a mão na tevê, e um copo de água em cima dela e faz uma oração forte, mas tem que ter fé, para acontecer o milagre.

O que fazer diante da crescente apostasia e do afastamento dos princípios basilares da Palavra de Deus? E o que faremos para não sermos tragados por esse tipo de ensinos sofismáticos, advindos pregadores mal intencionados, que confundem a mente e nos afastam de Deus? Pois o próprio apóstolo Paulo nos adverte do perigo dos últimos dias: “…Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas.” II Timóteo 4:3,4

Três pilares devem ser o sustentáculo da fé. Com eles, estaremos firmes no tempo das tormentas e nos apresentaremos puros diante do Senhor, quando Ele nos pedi contas das obras, por nós praticadas, no decorrer desta vida.

1. Nossa fé em Deus tem um referencial (modelo) que é a palavra de Deus. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.” João 7:38

É muito fácil dizer que se crê em Deus, e que se é um seguidor dele. Mas essa fé tão propagada por muitos é dissociada do que a Bíblia requer que façamos. É uma fé destituída da totalidade da Palavra de Deus. É verdade que existe um Deus, mas Ele não está sujeito às interpretações e desejos humanos.

O Deus verdadeiro é o Deus da Bíblia. Seu caráter, sua personalidade, sua vontade, o que Ele requer para o mundo e para o homem, está revelado na Bíblia.

Há normas, há preceitos que regem, que discriminam, que descrevem Deus em seus múltiplos relacionamentos com a humanidade. Portanto, a minha fé em Deus não pode está dissociada do Deus da Bíblia, e nem tampouco confrontá-la.

“Quem crer em mim como” diz a escritura. Esse “como” é uma símile. A símile é a aproximação de dois termos entre os quais existe alguma relação de semelhança. Ou da mesma forma que.

2. A palavra de Deus é fiel e há de ser aceita em sua total completude. Fiel é a palavra e digna de toda aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal.” I Timóteo 1:15

Não existe possibilidade de crermos parcialmente na palavra de Deus. Ou cremos que toda ela é de Deus, ou incorremos no risco de apostatarmos dela.

A palavra de Deus é Fiel! Em quê e como ela é fiel?

1. Ela é fiel porque tem o remédio certo para a cura dos males humanos.

2. Ela é fiel porque é a única que tem palavra de vida eterna.

3. Ela é fiel porque traz salvação para o homem pecador.

4. Ela é fiel porque apresenta a vida, morte e ressurreição do Salvador da humanidade: Jesus Cristo.

5. Ela é fiel porque promove consolo, ânimo, refrigério, fé e esperança para o peregrino nesta terra.

6. A Palavra é fiel porque tem promessas benditas para os que crêem em Deus.

7. A Palavra é fiel porque cumprirá todos os propósitos, desígnios e profecias de Deus para com a humanidade.

3. Há poder na palavra e ela tem que ser pregada a tempo e fora de tempo. Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina.” II Timóteo 4:1,2

A palavra de Deus é o único meio pelo qual o pecador encontra a salvação de sua alma perdida. Ela tem que ser pregada. Temos que crer que ela é eficaz para gerar vida eterna nos ouvintes. “ Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego.” Romanos 1:16

Para pregar a palavra, necessito conhecê-la, perscrutá-la diariamente. Tê-la como alimento para minha alma. Lembre-se: aquilo do que você mais se alimenta é que fortalecerá o seu corpo. Se alimentarmos bem nosso espírito, ele se tornará forte nas lutas espirituais. Romanos 8:5,6

O enfraquecimento da doutrina, nos púlpitos, torna perigosa a própria vida do cristão, principalmente aquele que julga andar com Deus por está numa igreja. “ O meu povo está sendo destruído porque lhe falta conhecimento. Porque tu, sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também eu, te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos”. Oséias 4:6

Não podemos falsear, torcer a palavra, ela precisa ser pregada em sua completude. Como dizia o apóstolo, com senso de dever cumprido: “ Pois eu vos protesto, no dia de hoje, que estou limpo do sangue de todos; porque jamais deixei de vos anunciar todo o desígnio de Deus.” Atos 20:26,27

Prega a Palavra!!! É o grito que ressoa aos ouvidos daqueles que foram chamados por Deus a essa nobre tarefa de levar salvação (libertação; segurança; preservação; cura e perfeição) a uma humanidade perdida e sedenta de vida abundante.

Pr Francisco Nascimento

Anúncios

6 comentários sobre “O Líder e a Palavra Fiel

  1. Ótima palavra pastor…

    Gostei muito da pregação no ultimo domingo.

    Palavras que realmente falam sobre a realidade de muitas igrejas evangélicas nestes dias.

    Fique na paz, e que Deus esteja sempre com o senhor

    abraços

  2. Pastor nossaaa fiquei admirada ao ler esta palavra, seria muito bom se todos os lideres de igrejas tivesse essa mesma visão.
    Infelizmente a palavra de Deus tem sido pregada de forma muito errada.
    Fique na paz ,que Deus o continue usando poderosamente.

  3. Paz de jesus ,fé é saber que tudo que nos aguarda é o juizo final e ver o nosso nome no livro da vida eterna na gloria .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s