O AMADO DE DEUS


O AMADO DE DEUS

“Ora, ali estava conchegado a Jesus um dos seus discípulos, aquele a quem ele amava; a esse fez Simão Pedro sinal, dizendo-lhe: Pergunta a quem ele se refere. Então, aquele discípulo, reclinando-se sobre o peito de Jesus, perguntou-lhe: Senhor, quem é? Respondeu Jesus: É aquele a quem eu der o pedaço de pão molhado. Tomou, pois, um pedaço de pão e, tendo-o molhado, deu-o a Judas, filho de Simão Iscariotes.” João 13:23-26

Jesus teve em sua vida terrena milhares de discípulos, doze apóstolos, que conviveram com ele, aprendendo diretamente seus ensinos e vendo os milagres que ele operava. Todos eles foram impactados pela sua presença, pelo seu amor e seu cuidado.

Três foram os apóstolos que mais estiveram próximos de Jesus, sempre sendo chamados a parte, para receberem seus ensinos, e para terem um relacionamento mais profundo com mestre: Pedro, Tiago e João, seu irmão.

Dos três discípulos, um se destacava como aquele que nutria um relacionamento mais íntimo de amor e amizade com Cristo. O nome dele era João, conhecido também como discípulo amado, ou como ele próprio se intitula, em seu evangelho, demonstrando a intensidade desse relacionamento… ” aquele a quem ele amava”.

A Bíblia é abundante em suas menções que falam do desenvolvimento dessa relação de amor e amizade entre João e Jesus, que cresce na medida em que o tempo vai passando e os laços de estreados afetos  vão se realizando.

Jesus devotava amor e atenção a todos, contudo, João ia à frente dos outros apóstolos no quesito que parece mais agradar a Deus: tempo  gasto em Sua presença.  Esse esforço na busca de estar sempre ao lado do Mestre fez com que a amizade e o amor dos dois se fortalecessem.

O íntimo relacionamento  com Jesus, fez com que o caráter  e a personalidade de João fossem aperfeiçoados a cada dia  e chegassem a ser como os do Mestre.

Nenhum dos discípulos conseguiu aprofundar-se mais no entendimento da divindade de Cristo, seus ensinos, seu amor devotado, que João. Nenhum dos discípulos teve maior revelação do mundo espiritual. Nenhum dos discípulos teve a maior revelação profética  do que aconteceria nos céus e na terra até o final dos tempos. Nenhum dos discípulos foi levado em espírito aos céus e viu a presença gloriosa do Todo Poderoso e de Seu Filho amado, a sua destra, que João.

João, o apóstolo, filho do trovão, filho de Zebedeu, discípulo amado, também empresário de pesca, que deixou tudo para seguir o mestre. Escreveu cinco livros da Bíblia: Evangelho que leva o seu nome, I,II,III Cartas de João, e o livro de Apocalipse ou da Revelação.

Todos esses livros carregam em seu conteúdo a marca do seu relacionamento de amor com seu mestre Jesus.

Qual o segredo de tanto conhecimento, de tanto amor, de tanta profundidade nos ensinos de Jesus? O que João tanto fez para ser tido como discípulo amado do Senhor?

O segredo é relacionamento. É dele que surgem as maiores amizades e forjam grandes amigos. Gastar tempo junto, ri, chorar, conversar, brincar, olhar, escutar, escrever, ou simplesmente estar próximo da pessoa amada, do amigo fiel. Os bons amigos não se forjam da noite para dia. O amor nasce dos relacionamentos.

De amizade todo mundo entende um pouco, mas o que diremos do relacionamento com Deus, ou como podemos nos aprofundar, até o ponto de sermos chamados de discípulos amados?

João aprendeu que para uma maior profundidade no relacionamento com Jesus era necessário está perto dele.

Quando estamos perto de Jesus sempre podemos ouvir dEle  segredos profundos. Quando estamos perto de Jesus outros poderão pedir de nós ajuda a respeito das questões mais cruciais da natureza humana, suas dúvidas seus questionamentos. “a esse fez Simão Pedro sinal, dizendo-lhe: Pergunta a quem ele se refere.” João 13:24 ” Porque os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca devem os homens procurar a instrução, porque ele é mensageiro do SENHOR dos Exércitos.” Malaquias 2:7

Quando estamos perto de Jesus, sempre seremos os primeiros a ouvir dele o que tem de melhor para nos falar. “Respondeu Jesus: É aquele a quem eu der o pedaço de pão molhado. Tomou, pois, um pedaço de pão e, tendo-o molhado, deu-o a Judas, filho de Simão Iscariotes.” João 13:26

Quando estamos perto de Jesus não precisamos de intermediários. “A intimidade do SENHOR é para os que o temem, aos quais ele dará a conhecer a sua aliança.” Salmo 25:14

Quando estamos perto de Jesus temos experiências divinas maravilhosas que ficarão marcadas por toda a nossa vida.

Com João foi assim, conosco não será diferente. Deus quer o melhor de nós, Ele  quer relacionar-se com seus filhos amados.

Os três estágios de João no relacionamento com Jesus.

Cada um desses estágios o levaram a ter uma profunda  experiência de dependência, de comunhão, cumplicidade e revelação, que somente a intimidade pode dar.

1. Inocência. (do Chamado a segui-lo ao monte da Transfiguração).

Quando somos chamados a andar com Cristo, as transformações provindas desse relacionamento vão se realizando em nossas vidas:

O caráter muda e o temperamento vai sendo controlado. Os antigos comportamentos vão sendo deixados para trás.

O chamado de Jesus nos leva a termos experiências maravilhosas ao seu lado. Seus ensinamentos vão nos moldando e edificando. A paz de sua presença é real, a alegria em servi-lo nos motiva a acreditar no mundo de justiça social.

Projetos pessoais fora da vontade de Deus vão sendo abandonados. Somos chamados a produzir frutos tanto da alma, como frutos exterior: Ganhando vidas para Cristo. Proclamando o  Evangelho das Boas Novas, que restaura as pessoas no relacionamento com Deus. “Vinde a mim e vos farei pescadores de homens.”

O homem é mais importante que as coisas que há no mundo. Vemos isso acontecer com a calamidade que está acontecendo na região serrana do Rio de Janeiro.

A casa de dona Maria estava sendo levada pela correnteza, mas a casa não era mais importante que salvar a vida de dona Maria, que os vizinhos queriam fazer. Mas a dona Maria queria salvar também o seu cachorro, mas não dava para salvar a dona  Maria e o cachorro junto. A correnteza também levou o seu cachorro. O mais importante era que a vida de dona Maria, foi salva, porque havia quem lançasse a corda para salvá-la.

Os vizinhos gritaram: dona Maria, amare a corda, bem amarrado por debaixo da perna também, feito, agora, largue o cachorro, mas ela não obedeceu e quase morre junto com seu animal de estimação.

Nós muitas vezes temos um animal de estimação, que se não largarmos na correnteza da vida, poderão nos fazer sucumbir.

Salvar vidas é mais importante que salvar casas e objetos. Uma alma vale mais que as riquezas que há nesse mundo.

João aprendeu com Jesus a valorizar pessoas nas várias matizes sociais, do coxo, cego, oprimido, ao angustiado de alma. Do rico ou do pobre, do intelectual ao que não teve oportunidade de estudar.

Jesus, leva João ao monte da transfiguração lugar de revelação da sua excelsa glória, reservada para aqueles  que são íntimos dele.

No monte da transfiguração a visão espiritual é ampliada, podemos contemplar o mundo espiritual: Moisés e Elias e Jesus Glorificado. Moisés representa a Lei, e Elias, os profetas. Era com se Jesus revelasse aos seu três amigos, que tudo iria acontecer segundo o propósito divino, tudo estava no seu controle, suas promessas se realizariam.

2. Conhecimento. (Do monte da transfiguração ao monte das oliveiras, o calvário).

Nem tudo na vida é glória, nem tudo na vida é felicidade, as tribulações virão, as provas acontecerão, a morte e os inimigos tentarão nos assombrar.

João viu Jesus transfigurado no monte, mas em outro monte contemplou Jesus crucificado, sendo atacados por verdadeiros algozes, que tentavam tirar-lhe a vida..

Muitas vezes a alegria da transfiguração é coberta pelas lágrimas da crucificação.

João ficou perplexo diante do sofrimento, da dor e da morte. A cruz e os sofrimentos de Cristo seu mestre, lhe transpassava a alma.

Nos momentos das angústias, da dor, da solidão, da cruz e da morte, nunca devemos esquecer que temos promessas no monte da transfiguração, e elas serão cumpridas.

“Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? Como está escrito: Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.” Romanos 8:35-39

3. Maturidade. De Jesus ressuscitado a Jesus glorificado. (Da Ressurreição a ilha de Patmos)

“Eu, João, irmão vosso e companheiro na tribulação, no reino e na perseverança, em Jesus, achei-me na ilha chamada Patmos, por causa da palavra de Deus e do testemunho de Jesus. Achei-me em espírito, no dia do Senhor, e ouvi, por detrás de mim, grande voz, como de trombeta..,”

A experiência de João ao ver Jesus ressuscitado foi deveras reconfortante para os dias de dores e saudade que sentiu de seu mestre após seu sofrimento e morte de cruz.

Os 40 dias que Jesus passou ao seu lado foi muito proveitoso e de muito crescimento espiritual para sua vida. Mas Jesus um dia foi ascendido aos céus, deixando um legado de ensinos e exemplos que os discípulos deveriam seguir.

A obra do evangelho se intensificou, as perseguições chegaram, e com ela a morte de seu irmão, Tiago, por Herodes (Atos 12:1). Os anos foram se passando, muitos discípulos e apóstolos foram morrendo. Até que já velho foi aprisionado na ilha de Patmos.

As palavras do mestre ainda eram vívidas em sua mente para que permanecesse firme Nele e na sua palavra. Talvez uma das palavras mais impactantes que João aprendeu de Jesus e sempre se lembrava quando passava por lutas, era.. “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.” João 16:33

O Filho do trovão foi lapidado pelas tribulações. É no fogo da tribulação, do sofrimento e da dor que João tem experiências profundas com Deus. Ele ainda receberia revelações sobre acontecimentos proféticos no céu e na terra para entregar a todos os povos. “Depois destas coisas, olhei, e eis não somente uma porta aberta no céu, como também a primeira voz que ouvi, como de trombeta ao falar comigo, dizendo: Sobe para aqui, e te mostrarei o que deve acontecer depois destas coisas. Imediatamente, eu me achei em espírito, e eis armado no céu um trono, e, no trono, alguém sentado;” Ap 4:1,2

Mas é nos céus que João tem a mais sublime das revelações, ver Jesus seu mestre Glorificado, a destra do Todo Poderoso e viver agora, um relacionamento eterno, com seu amigo, irmão e Senhor, para todo o sempre…

Quando nos aprofundamos no relacionamento com Deus, na terra, seremos chamados “amados de Deus”, e serão reservadas herança gloriosa na presença de Deus, eternamente.

 

Pr Francisco Nascimento

About these ads

5 comentários sobre “O AMADO DE DEUS

  1. Maravilhoso, João era o discípulo amado do Senhor porque ele se sentia amado por seu mestre, ele escolheu ser amado quando teve um relacionamento profundo com o Senhor, …, todos nós podemos ser discípulo amados do Senhor, toda honra seja dada ao Senhor, mas a ministração dessa palavra é reveladora. No amor de Cristo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s